© 2018 Todos os Direitos Reservados para Clínica Paulista. Desenvolvido por Agência OQF.

  • Facebook
  • Instagram

A toxina botulínica serve para fins estéticos e também para tratamento terapêutico.
Entre os mais comuns, estão:

 

Espasticidade e Distonia - deficiências de mobilidade

Hiperidrose - excesso de suor

Cefaléia - enxaqueca crônica

A toxina botulínica tipo A é aplicada diretamente no músculo, deixando relaxado, minimizando as contrações involuntárias e a rigidez excessiva. 

A toxina não age diretamente na causa das doenças, mas atenua os sintomas e seqüelas, ajudando os pacientes a recuperarem a qualidade de vida e tratarem de suas complicações.

TOXÍNA BOTULÍNICA

Oferecemos tratamentos especializados (cobertos pelo seu convênio) para os seguintes casos:

Migrânea Crônica: popularmente conhecida como enxaqueca. Caracterizada por mais de 15 dias de dor de cabeça por mês, com duração de mais de quatro horas por dia, por mais de três meses.

 

Distonia: provoca contrações involuntárias da musculatura em diversas regiões do corpo – como pescoço, por exemplo - comumente confundida com tique nervoso.

 

Blefaroespasmo: contrações involuntárias do músculo que controla as pálpebras, fazendo com que o paciente pisque incontrolavelmente. Também confundido com tique nervoso.

 

Espasmo hemifacial: contrações involuntárias dos músculos da face.

 

Espasticidade: rigidez excessiva da musculatura – de braços e pernas principalmente - que afeta a mobilidade dos pacientes. É uma sequela comum em pessoas vítimas de AVC, paralisia cerebral, lesões medulares, esclerosemúltipla e outras patologias ligadas ao sistema nervoso central.

 

Hiperidrose: suor excessivo, geralmente nos pés, mãos e axilas.

Este tratamento terapêutico é autorizado ou reembolsado pelos planos de saúde privados, de acordo com a Lei 9656/98.